Maria Radiante


Deixe um comentário

Girl power

Primeiro havia só um cão:

image

Depois chegou uma cadela:

image

Conseguem ver o pânico no focinho do Smash? E conseguem perceber a manifestação do poder no focinho da dona do Smash? A Betty? Sim, a Betty é dona dele.

image

– “Adoro almofadas, mas o rabo do Smash é o melhor sítio para dormir!!!”

– “A sério??? Eu não mereço está sorte!!!”

image

– “Finalmente desamparou a loja!”

image

– “Estou aqui a torcer-me todo e nem sequer tenho espaço, mas não me levas a melhor. ”

Girl power no seu melhor.


2 comentários

O armário da aeromoça na loja

… mas em muito mau.

Eu uso farda da companhia aérea onde trabalho e apesar de saber que muita gente reclama de usar farda, eu adoro. Não tenho que pensar sobre o que vou vestir no dia seguinte, não estou nem melhor nem pior e não tenho de comprar roupa de beta para ir apresentável para o trabalho. Ah, e posso estourar o ordenado todo em calças de ganga rasgadas nos joelhos.

Posto isto, mandei arranjar cada peça da minha farda para que me servisse a mim e não ao vizinho do lado e como tal, desculpem lá, mas a farda fica-me bem.

Não, não posso tirar fotos com a farda e publicar, não, nem sequer o quero fazer, sim, fica-me bem, mas a minha roupa fica-me melhor.

Adiante, vamos ao sumo do post.

Está na moda ser aeromoça, já reparei. Eu estou na moda pelo menos 8 horas por dia em dias de trabalho. Claro. Mas, pelos vistos é moda até para quem não trabalha numa companhia aérea… Eu a querer vestir calças rasgadas e esta gente a querer andar de saia de hospedeira, vá-se lá perceber a ideia. Ou percebe-se, na realidade eu é que sou uma trendsetter e assim que comecei a ter de usar a farda virou moda instantaneamente…

Andava eu a ver montras para compor o meu capsule wardrobe para outubro e deparei-me com o seguinte modelito na conhecida loja espanhola que tem em tudo que é shopping:

img_0919

(Sim, está desfocada. Não, não quero saber. Andei a tirar fotos às escondidas, é no que dá.)

Ó gente, comparando com a minha farda (que é de verdade, não é de fingir como a da foto), isto é mesmo muito feio. Vocês acham mesmo que as hospedeiras iam conseguir ter reputação de terem uma imagem cuidada se se vestissem assim? A sério que é esta a ideia? Por amor da santa!!! Haja santa paciência! Nem se deram ao trabalho de tirar as dobras à camisa! E não havia saia com mais roda? Senhores, nenhuma das saia ou vestido que eu tenho tem aquela roda horrorosa. A saia é justa, gente. Justa!!! E a camisa com aquele dourado… Ainda uma pessoa se queixa do amarelo (vai-nos valendo o azul sobre o branco!!!)… Dourado plástico! E as preguinhas da saia? Senhores, aquilo estava na secção de mulher, não estava na secção de criança.

Olhem, só vos digo, que coisa mais feia mesmo.

Agora a pergunta: está mesmo na moda vestir roupa de hospedeira? É que se está, ponham os olhinhos em quem o faz bem, procurem no google por “air hostess” ou por “hospedeira de bordo” ou por “aeromoça” e vejam lá se tem alguma coisa em comum com a tentativa frustrada da loja que começa por “Z”… Claro que os disfarces de carnaval não contam para esta pequisa!!! (Se bem que assim já não gastava dinheiro, ia de farda…)

Tenho dito, vou só ali enforcar-me com o lenço amarelo da farda (de que não gosto, só gosto do azul) e já venho.

Post Scriptum: volta lá à foto e vê o casaquinho para fechar o look completo. Um must. Amei. Vou voltar à loja para comprar três conjuntos: dois para queimar e um para deitar fora.

 


Deixe um comentário

Hora da sesta

O Smash veio morar comigo há quatro anos e meio e ele é o verdadeiro menino da mamã. É um mimado de primeira e derrete o meu coraçao desde o primeiro guinchinho que deu.

Ora, ele sabe pedir um monte de coisas, incluindo colo, comida, para ir passear e, acima de tudo, sabe pedir para eu pegar nele quando não lhe apetece saltar para algum lado.

Para variar, mal me viu deitar para tirar uns minutinhos de sesta, toca a ladrar para vir dormir para a minha beira. Claro que peguei nele.

Estavamos os dois prontinhos para dormir e quem é que decide vir chatear??? Miss Betty.

image

Pronto. Já não houve mais sossego. Já ninguém vai dormir a sesta porque chegou o tubarão.

Fim da história.

Atualização, segundo dia de sestas:

Um cão em cada perna:

 



Deixe um comentário

O meu capsule wardrobe

Quem me é mais próximo sabe que o meu armário está reduzido a 35 peças. Decidi embarcar nesta nova viagem por algumas razões inevitáveis.

Quem me é mais próximo sabe que tenho um ego gigante, mas que sou tamanho portátil e que na realidade  tenho 1,53m. Certo. E os quase 60kg  (vamos assumir que nunca cheguei aos 60kg, tal como assumimos que tenho 18 anos) não me ficavam mal, porque sou gira e tenho olho para o que visto, mas deixaram de estar lá e passar a ter menos quase 20% do peso inicial é dose para quem gosta de roupa. Posto isto, as centenas (não vamos dizer milhares) de euros que gastei em peças de roupa únicas (porque odeio sair de casa e passar por 40 pessoas a usar a mesma camisola que eu; sim tenho a mania, temos pena) foram pelo cano abaixo, porque nada me seve. Dei quase tudo. Guardei a roupa do frio e fiz a minha coleção em junho. Fiquei com as ditas 35 peças. Queria ver se funcionava comigo, se me adaptava, se ia conseguir não comprar roupa nenhuma durante o tempo que estipulei para o meu capsule wardrobe inicial de 4 meses.

Por essa blogosfera vão encontrar as mais variadas regras, nem todas funcionam para mim, por isso isto foi o que eu estipulei:

– não ia limitar o número de peças, mas tinha de ter saias, calções, calças, vestidos, tops, camisolas e camisas;

– roupa da farda, roupa de treino e roupa interior não contava;

– Só podia comprar peças de qualidade, mas a bom preço e só no primeiro mês;

– o que não tiver usado (exceção feita às roupas de festa que podem não ter tido a oportunidade) vai para dar.

Está quase a terminar o mês de setembro e já estou a pensar em como irei fazer o próximo capsule wardrobe, mas acho que vou reduzir para 3 meses – outubro, novembro e dezembro – e vou apostar em vestidos (são a coisa mais fácil de usar em qualquer situação), calças e partes de cima. Também vou aplicar o capsule wardrobe à roupa de treino e vou dar muita coisa. A roupa da farda continuará a estar fora das contas e a roupa interior também. Quero ver o que me falta e vou passar no outlet para completar. Há algumas peças que vão continuar para os próximos três meses. A ver se ganho coragem e se fotografo tudo para vos mostrar.

Foi das melhores coisas que fiz nos últimos tempos, ganhei anos de vida ao abrir o armário e não ver tudo a abarrotar sem caber mais absolutamente nada. Tenho aplicado a regra a mais algumas coisas, quer na casa, quer na vida. O que não preciso vai para dar se ainda estiver bom, ou para o lixo se já não prestar. Só assim consigo ter espaço para fazer tudo o que quero.

Quem mais quer fazer um capsule wardrobe?

 


Deixe um comentário

Eu quase master chef

image

Adoro ver programas de culinária. Porque adoro comida. Claramente, não é para aprender coisa nenhuma, porque não dá. Ensinem-me outras coisas, não nasci para mexer em comida. Sei fazer guacamole, receita que aprendi com uma amiga mexicana de uma prima. E é isso. Sabia fazer risotto. Já não devo saber fazer, de não o fazer há tanto tempo.

Posto isto, os programas de culinária que mais me deixam boquiaberta são os masterchef de crianças. Como raio é possível? Será que é tudo combinado e vai lá alguém cozinhar sem que nós vejamos?

Gente, com 12 anos eu cozinhava leite frio com chocolate!!!

Agora a sério, alguém tem aquele jeito todo do Lorenzo e da Lívia com 13 anos?

(Parênteses aos meus alunos de cozinha: nenhum de vocês tinha 13 anos, vocês não contam.)

Como é possível? Como funciona? A mãe ensina? Acontece? Sonham e no dia seguinte pensam: “hoje vou fazer atum braseado em cama de sementes de sésamo”?

Tiro muitas fotos de comida, certamente para mais tarde recordar, porque nunca as posto em lado nenhum (a ver se as começo a pôr aqui, para meter nojo), mas a única receita que fiz com a intenção de postar em algum lado ficou queimada (eram bolinhos de feijão…) e sabia tão mal que foi tudo para o lixo.

Não posso mentir e dizer que gostava de saber cozinhar, prefiro não saber e não ter de cozinhar para ninguém. Mas parece que as minhas receitas fazem sucesso, porque sempre que faço alguma coisa fica na cabeça de alguém… No outro dia a minha irmã veio falar bem do meu crumble. Que eu faço a olho. Com o que tiver em casa.

Se calhar podia concorrer ao masterchef. Junior. Num hospital. Para pessoas subnutridas.

Vou mas é ver o resto da final do masterchef junior Brasil. Acho que estou a torcer pelo Lorenzo…


2 comentários

Brangelina já chega

Nunca fui team Brad. Considero que melhorou com a idade, mas convenhamos, o senhor sempre foi bastante insípido. Já no que toca à sua ex cara metade… eu sempre fui team Angelina.

Vejamos: tem mau feitio, fez de Lara Croft, é gira todos os dias, há-de ter 500 anos e vai continuar com tudo no sítio. Go Jolie!!!

Acham mesmo que o Brad pãozinho sem sal ia durar muito tempo? O Brad é, na melhor das hipóteses, fofinho. Se é para ser só fofinho, nem valia a pena sair de casa!

Mas claro, quem sou eu para opinar sobre o que quer que seja? Sempre fui team Johnny Depp e consta que se não batia na mulher, pelo menos também não a tratava bem…

Adiante, já estou cheia de ouvir falar na morte do Brangelina. Logo, logo eles arranjam alguém e vai ser outro filme fabuloso…

Agora parem lá de me invadir o feed do facebook com esta suposta notícia. Já não se aguenta!!!

Post Sriputum: Alguém se lembra de quando esta tatuagem ainda existia? Yep, bem me parecia que não… Brad Billy Bob II Pitt…

VARIOUS STAR PORTRAITS

Mandatory Credit: Photo by MUNAWAR HOSAIN/REX (372503f) ANGELINA JOLIE – 05 JUN 2000 VARIOUS STAR PORTRAITS

 


Deixe um comentário

Pensamento do dia

image– “Boa tarde, tem Somersby?”

– “Sim, temos.”

– “Então queria uma de maçã.”

– “Não, dessa não temos, só temos das normais de sidra.”

– “…”

– “Das normais, só.”

– “Sim, pode ser.”

Só me resta dizer que se o senhor não tem de maçã, vou ter de beber de sidra mesmo…

Vou só ali afogar-me em sidra de maçã e já volto.