Maria Radiante


Deixe um comentário

Raindrop cake

Claro que eu tinha mesmo que falar disto. O raindrop cake é lindo e maravilhoso e tem zero – Z E R O – calorias.

Ora bem, é feito de água e agar-agar por isso, adivinhem lá a que é que sabe? A água, está claro.

Sabe a Á G U A! Estão mais elucidados agora? E adivinhem lá porque é que tem Z E R O calorias. Certo mais uma vez, porque é ÁGUA!

Eu adoro água, mas, por amor da santa, sobremesa não pode saber a água, tem de saber a sobremesa. Eu se quiser acompanho a sobremesa com água, mas água de sobremesa, gente? Faz-me lembrar uma colega da minha mãe que estava grávida e disse ao marido que lhe apetecia Sumol de ananás e ele respondeu-lhe que bebesse um copo de água e imaginasse que era Sumol…

É mais ou menos o mesmo, come aí uma gota de água e faz de conta que é sobremesa…

Ah, certo, dá para juntar umas coisas à gota de água para ficar a saber a sobremesa… Certo, mas aí onde estão as zero calorias? Já explodiram pelo telhado… e sim, água com soja vai saber a água com soja que também não é sobremesa.

Oh senhores do céu, haja santa paciência para tanta modernice… o que vão inventar a seguir? Bolo de ar?

Vou só ali tomar banho num raindrop cake e já volto.

Anúncios


3 comentários

Male vs. Female

O Smash depois de tomar uma vacina: “Ai que eu vou morrer! Ai que me dói tudo! Ai, dona, o que me foste fazer! Ai que eu estou deprimido e vou ficar aqui quietinho e sossegadinho na fossa! Ai que tens de me levar ao colo para casa porque eu já nem aguento as dores! Ai que eu não quero comer e/ou brincar e/ou beber e/ou fazer o que quer que seja! AI que eu só quero de me larguem da mão que eu estou tão mal!” durante dois ou três dias.

A Betty, hoje, depois de tomar uma vacina: “Onde é a festa, dona?”

O Smash, hoje, antes da Betty tomar uma vacina: “Ai, dona, estamos no veterinário e eu tenho medo. Ó dona, pega em mim ao colo que eu estou nervoso. Ai, dona, acho que me dói tudo, vou ganir um bocadinho. Ó dona, achas que posso vomitar? É que me dói a barriga. Ai, meu deus, dona, porque é que me fazes isto? Pensei que gostavas de mim! És uma falsa, uma traidora, disseste que só a Betty ia tomar vacina, mas eu também estou aqui  com ela e ela é uma descuidada e não sabe ao que vai e eu tenho de ficar nervoso por mim e por aquela despreocupada. Ai, dona, nunca mais termina este tormento.”

A Betty antes de tomar uma vacina: “Onde é a festa, dona?”

O Smash durante a consulta da Betty: “Vou ganir o tempo todo e parecer que me estão a matar ainda que eu nem sequer esteja na marquesa e ainda que ninguém me toque sequer.”

A Betty durante a sua consulta: “Onde é a festa, dona?”

I rest my case.


Deixe um comentário

#NoFilter

Pré Scriptum: muito trabalho, crises de asma, exames na faculdade, exames no hospital, férias, falta de vontade, ginásio. Pronto, já dei as desculpas todas.

Post: Ai que vocês “não sabem nem sonham” o farta que eu ando do raio do #NoFilter. Cada vez que vejo essa m#$%& num raio de uma publicação apetece-me desatar à chapada em alguém. Agora é tudo sem o raio do filtro. Tiram uma foto, é sem filtro. Escrevem uma citação bonita, é sem filtro. Sem filtro fico eu e aquilo que me apetecia escrever nesses posts é que é sem filtro. Mas sem filtro mesmo que eu já nasci assim e às vezes fica-me muito difícil disfarçar…

Tenho dito, vou só ali cortar os pulsos e tirar uma foto e pôr #NoFilter. Porque que raio de filtro é que se põe nuns pulsos cortados? O filtro dos brilhinhos? Melhor não, as purpurinas ardem nas feridas, de certeza…

Fiquem mas é com os Molotov e com o que eu acho dos #NoFilter: Apocalypshit.


Deixe um comentário

Sim, já todos falaram nisso hoje…

… mas eu já o mencionei há uns 500 milhões de anos aqui no meu canto.

Vou perguntar outra vez: A que culto é que o Meireles se juntou? É que, mesmo pondo a barba em todos, ele é o único com ar de realmente atrofiado. E isso chateia-me imenso porque eu sempre fui fã do senhor e agora fico um bocadinho – muito – desiludida e não é nada justo. É que nem o Cavaco com o seu ar a cair para o senil ficou tão mal!

Acho que vou só fazer a depilação aos pulsos antes de os cortar e já volto…

10346640_10152069344396423_7478369786578453693_n

 


4 comentários

Post do dia que vale pela semana toda

Carta curta e aberta

Cara Cláudia Vieira,

Adoro-te de coração. Acho-te talentosa, gira de morrer e inteligente também.

Posto isto tudo, tens marcação com o Ami James e pedes-lhe que te tatue meia dúzia de números??? Tens noção que o Ami te estava a tatuar e a achar que eras louca? Para tatuar uma data ias ao tatuador da esquina e o resultado seria o mesmo. Vou repetir. Tens marcação com o Ami James. Outra vez. Com o Ami James!!!

Ai que eu não posso.

Continuo a gostar de ti, mas desceste uns pontinhos na minha consideração.

Com o Ami James! É o mesmo que ter hora com o Dali para te perpetuar e dizeres, “Tira-me antes uma fotografia que eu gosto mais de coisas realistas.”. Só que com o Ami ainda é pior, porque está vivo e tu tiveste a oportunidade de ser tatuada por ele e pediste-lhe uma data!

Estou para cair para o lado.

Adoro esta tatuagem que vos deixo (foi feita pelo Ami, claro!!!). Era algo assim que eu pedia. Uma data… vou só ao Rock in Rio pedir ao Ami que me corte os pulsos e já volto.

https://i1.wp.com/static.ddmcdn.com/gif/ny-ink-304-ami-james.jpg


4 comentários

I <3 pão

Pois que a nutricionista achou por bem só me deixar comer hidratos durante o dia e mais pela manhã que à tarde só mesmo se for treinar em seguida. Até aqui tudo bem. Quer dizer… Não tenho fome e passo bem sem arroz, sem massa, sem batatas, sem cereais, sem leite, sem um monte de coisas, só não passo bem sem pão. Ou melhor, passo se ninguém mo proibir… e foi-me um bocadinho proibido. E neste momento estou irritada e de mau humor. Mas descansem… já encontrei a solução: vou treinar todos os dias. De manhã, de tarde e à noite. Aliás, acho que vou agora mesmo! Passo só na cozinha para apanhar um pãozinho para o caminho e vou dar uma corrida. Ou não. Vou esperar pela manhã.

Entretanto, para me distrair do pão fui pesquisar de que maneira o poderia substituir. Eis a pérola que encontrei cheia de informação redundante (está em português do Brasil e vou manter a grafia, é da vontade de comer pão que me dá preguiça de tudo o resto):

“Pão
O que significa: carência de triptofano (um aminoácido que estimula a serotonina, o neurotransmissor responsável pelas sensações de bom humor e felicidade), desequilíbrio nos níveis de insulina (hormônio responsável pela redução das taxas de glicose no sangue) e falta de carboidrato (a substância que produz energia para o corpo).

Pode provocar: a ausência de triptofano na alimentação pode resultar em sensações de depressão, ansiedade e irritação, enquanto a falta de insulina nada mais é do que a diabetes, que, se não for bem tratada, gera complicações como infecções, problemas cardíacos e ainda pode levar à amputação dos membros inferiores. No caso da falta de carboidrato, fadiga e cansaço excessivo são os principais sintomas.

Substitua por: pães, cereais, arroz e massas integrais.”

A parte da substituição está brilhante… substituir o “pão” por “pães”. Por mim pode ser! Substituo o singular pelo plural num instante!

 


2 comentários

Comentário de cão

Só para manter os equilíbrios, antes de ir para a cama fui buscar meia caneca com estrelitas sem leite. O senhor cão sentou-se ao meu lado e eu perguntei-lhe:

“Smashinho, estás à minha beira porque me adoras ou porque queres ver se há chuva de estrelas para os teus lados?”

Não me respondeu e lá lhe dei meia estrelita… mastigou como se não houvesse amanhã daquela maneira irritante que me faz revirar os olhos e, não contente com o espetáculo, acabou de ruminar a meia estrelita e pôs-se a monte.

Gosta mais de estrelitas, está visto.

Olha lá se eu te digo “The dog days are over”? Depois é “run faster for your [human] mother”!!!