Maria Radiante

Morangos da Candonga… literalmente

9 comentários

Quando se ouve a expressão “qualquer coisa da candonga”, para os lados dos meus conhecimentos significa que é algo contrafeito, que é contrabando, que provavelmente não terá muita qualidade, ou se a tem é porque o mais provável é que tenha sido roubado.

Ora, esta semana comprei morangos no meu amigo continente e adivinhem lá de onde são os moranguitos! Exatamente! Da Candonga. Que fica exatamente aonde, mesmo? Pois, não sei. Não faço ideia e nem o senhor google me soube responder. Ou seja, vou continuar sem saber o significado da expressão. Mas uma coisa posso garantir: os morangos não eram doces. E mais, tinham lá alguns na caixa que eram quase do tamanho de clementinas, por isso já devem imaginar o tipo de drogas injetadas nos meus vermelhuscos que eu tanto adoro e que me deixaram a pensar que não era bem aquilo que eu queria. Para terem uma ideia, uma caixita, cá em casa, dura dois dias no máximo… estes já cá estão desde sexta… porque será?

Lembro-me de que quando era miúda, vivi numa casa que tinha um quintal onde o meu pai arranjou um pé de morangueiro e andava eu sempre de volta daquilo a pensar que aquilo ia ser um super morangueiro e que ia dar morangos todo o ano e, de preferência, para sempre… mas nem sei como acabou a história do morangueiro. No entanto, acho que nunca comi nenhum morango de lá (a paciência para esperar pelos resultados nunca foi comigo…) e entretanto devem ter começado a despontar os maracujás na casa da vovó e perdi o interesse pelos vermelhos, ou então descobri as amoras no meio das silvas na bouça ao lado dessa casa e perdi-me de amores por elas… sim, fartava-me de me picar nas silvas, mas as amoras eram tão grandes e doces e pretas que isso não interessava nada, saía de lá roxa (por causa das amoras que ia esmagando pelo caminho e que me deixavam nódoas em toda a parte) e arranhada, mas era maravilhoso sentar-me a comê-las, mesmo sem as lavar. E adivinhem lá, nunca morri disso! Quais morangos da Candonga (não desfazendo de quem lá mora, que de certeza que é um sítio muito bonito e fantástico, só não serve para criar morangos), qual quê? Se eu queria, tinha de ir atrás, que estas coisas não vinham ter comigo.

Agora apetecia-me ir apanhar amoras… não fosse eu já uma gaja crescida e ia mesmo… não agora, claro, um dia desses.

 

 

Anúncios

9 thoughts on “Morangos da Candonga… literalmente

  1. Olá! Fizeste-me voltar à minha infância com a história das amoras, é que eu fazia exatamente como tu, ficava com as mãos roxas e comia sem lavar, sempre ouvi dizer que o que não mata engorda!
    Esta semana também comprei morangos no continente, mas são de Huelva!
    Candonga? Nunca ouvi falar de tal sitio! Vê lá tu onde eles vão buscar os morangos!!!
    Beijinhos!

    Gostar

  2. Os morangos candonga, significa que são criados “sem solo”, ou seja, sem preparação prévia para o seu cultivo. Suponho que saibam mal por isso mesmo…

    Gostar

  3. Numa pesquisa sobre morangueiros, por acaso, passei por aqui. Pois esses morangos não são “da candonga” mas sim da variedade CANDONGA que uma das variedades anuais (dias curtos ou não reflorescentes) e deve ser de produção em meio aquático, (sem terra) por isso não ter grande paladar.

    Gostar

    • obrigada!

      Gostar

      • São uma espécie de morangos:
        – 5. O suporte dos sacos de cultura era constituído por bancadas em verguinha de ferro, com a altura de 1m e intervaladas na linha de 1 m (Figura 1). 2.1 Local O ensaio decorreu numa estufa tradicional com estrutura em madeira, coberta com filme de PE térmico, no Centro de Experimentação Horto-Frutícola do Patacão da DRAPALG. Figura 1 – Aspecto da estrutura de suporte em ferro 2.2 Material vegetal Cultivou-se morango ‘El Santa’, cv. remontante de dias neutros, muito popular no Norte de Europa e ‘CANDONGA’, cv de dias curtos (Viveiros Planasa, Espanha). 2.3 Delineamento experimental e modalidades em estudo Estudou-se o efeito do tipo de propágulo usado e o efeito da densidade de plantação na produtividade. Os ensaios foram instalados em blocos completos casualizados com 4 repetições. Cada parcela era constituída por 2 sacos. 2.3.1 Ensaio de densidades de plantação Testaram-se 4 densidades de plantação da cv. ‘Candonga’. A cultura foi plantada em 6 de Outubro de 2006, nas seguintes condições: 2 • Modalidade 1: 8 plantas por m 2 • Modalidade 2: 10 plantas por m 2 • Modalidade 3: 12 plantas por m Figura 2 – Saco de cultivo 2 • Modalidade 4: 14 plantas por m 2 Saco de cultivo

        Gostar

Sejam radiantes! Façam um comentário!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s