Maria Radiante

Experiência…

4 comentários

…ou não…

No outro dia estava eu na paragem à espera do meu amigo bus quando dei conta que estavam quatro senhoras e um senhor à conversa. Estavam eles todos animados, na maior galhofa que assumi que andassem no passeio todos juntos.

Eis que chega o autocarro e toca de entrar, acomodei-me no meu banco preferido para dormir (é a primeira paragem e só mesmo eu é que moro no fim do mundo para apanhar o bus sempre vazio) durante a viagem quando me apercebo que o quinteto se sentou em lugares separados e bastante distantes… tipo, um em cada ponta do autocarro. Pensei cá para mim: “Deviam estar a falar de alguma coisa específica que aconteceu naquele momento, mas pelos vistos não se conhecem…” e toca de me preparar para entrar em modo de dormir. Acordo quase imediatamente com as sirenes (entenda-se: as senhoras e o senhor) na conversa, mas aos berro uns com os outros porque só assim se podiam ouvir um em cada ponta…

Assumi que seria a experiência que lhes ditava que seria melhor não se envolverem muito porque não se conheciam de lado nenhum… falar pode ser, mas bem longe!

Estava eu quase a dormir pela segunda vez, ao som da música que aquelas pessoas partilhavam umas com as outras (entenda-se: conversa e mais conversa) quando se ouve um telemóvel. A senhora do telemóvel atende o telemóvel e diz uma outra “Eu também tenho o telemóvel como o dela, numa bolsa da carteira, porque se o puser dentro da carteira nunca o encontro (concordo plenamente) no meio das coisas todas, porque as carteiras são grandes”. Sou capaz de achar que a senhora precisaria de uma carteira mais pequenina, não? E de um megafone, porque falar aos berros é capaz de não ser suficiente…

Eis que ela saca do seu próprio telemóvel e faz uma chamada: “‘Toue (sim, com “e” no fim)? ‘Toue? Num ouço! ‘Toue? Num ouço! Ó, desligou.”. Diz uma outra senhora: “É, no outro dia ligaram-me duas vezes do centro de saúde e gastaram-me dinheiro, de certeza! Eu nunca telefono para ninguém e desapareceu-me dinheiro do telemóvel, foram os do centro de saúde a ligarem para mim.” Apeteceu-me dizer-lhe: “Ó senhora, não deixe o telemóvel ao alcance dos netos que se eles não enviarem mensagens já não lhe gastam o seu saldo!”, mas optei por me virar para o outro lado e dormir. A verdade é que se calaram até eu chegar a casa, pelo menos não me acordaram mais, o que já me deixou contente.

Ai o que eu gosto destas conversas sem assunto nenhum que se apanham no autocarro!!!

Anúncios

4 thoughts on “Experiência…

  1. é tipico dos bus amiga…e da 3.ª idade ihihih

    Gostar

  2. :d Muito bom!

    Gostar

Sejam radiantes! Façam um comentário!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s